Category: Intelligence Analysis

Imagem Elicitation --- ©Pixabay.com
maio 9th, 2016 by Marcos Zouein

Elicitação:

Quando uma boa conversa pode ser uma Armadilha

Do nada você conhece alguém, em um lugar público, um bar, uma balada, por telefone ou em uma Rede Social. Começa uma muito boa, vocês se identificam, têm coisas, interesses em comum. Parece que já se conheciam. E com certeza você voltaria a conversar com ele ou ela. Foi um bom papo.

Cuidado! Você pode ter acabado de conhecer um Engenheiro Social, ou um Agente de Campo, que utilizou em você uma tática chamada Elicitação.

Este tipo de abordagem é utilizado também por membros de Agências de Inteligência , Investigadores e diversos outros tipos de profissionais, além é claro dos membros do Cybercrime.

A Técnica de Elicitação tem um roteiro pré-determinado, é discreta, e tem como objetivo retirar informações de um indivíduo (ou até mesmo um grupo), sem que ninguém perceba que está entregando informações ou até mesmo segredos.

Uma abordagem profissional usa o tempo para apagar e também ressaltar impressões. É maquinada, porém parece orgânica para aquele que é o alvo da técnica. Como procura parecer natural, o aplicador da elicitação pode programar um número variado de encontros, utilizando táticas variadas para alcançar o objetivo.

O elicitador vai tentar criar vínculos, relacionamentos com você. Vai engendrar uma conversa prazerosa com você.

Mas lembre-se, estamos tratando de um viés mais ligado ao Cibercrime. Porém, a técnica pode ser usada em inúmeras outras áreas.

Um entrevistador (tanto para uma matéria jornalística, quanto para uma contratação), pode utilizar a elicitação direta ou indireta. Neste post estamos falando sobre uma parte da Indireta. Em outros posts vamos nos aprofundar, e também sobre a Direta.

Dentro do ambiente doméstico um pai ou uma mãe podem usar esta abordagem para ajudar um filho ou filha, descobrir segredos ou até mesmo ajudar a criança a expor uma situação perigosa que estava guardada até mesmo no inconsciente.

Relacionamentos afetivos, um namoro, pode surgir quando uma pessoa utiliza de forma saudável a técnica.

Já no ambiente corporativo a elicitação pode ser utilizada também para obtenção de vantagem competitiva. Descobrir segredos estratégicos dos concorrentes, está entre uma das principais utilizações no mundo dos negócios.

Empresas podem utilizar a elicitação também como forma de proteção para seus próprios segredos, ao usar por meio de profissionais qualificados, em seus próprios funcionários, colaboradores, parceiros e fornecedores.

Profissionais da saúde, Médicos, Enfermeiros, Psicólogos, Terapeutas, Psiquiatras e outros, podem utilizar algumas das diversas táticas de elicitação, para ajudar o paciente expor seus problemas mais facilmente, até mesmo descobrindo problemas ocultos.

Um Negociador ou um bom Vendedor com certeza vão aplicar alguma parte da técnica.

Na área do Cibercrime a tática tem o Pretexting como uma irmã gêmea. Em outros posts vou escrever mais sobre o Pretexting e me aprofundar sobre a Elicitação.

Os Elicitadores se beneficiam de que a maioria das pessoas quando estão guardando um segredo, têm vontade (natural), de dividir isso com alguém, de compartilhar este segredo. É como se a pessoa sentisse um alívio em dividir a responsabilidade com outro, ou até mesmo outros.

A pessoa que quer descobrir seus segredos ou informações, vai criar situações em que você se sinta confortável para revelar algo. Vai tentar criar ligações, laços, ou até mesmo um relacionamento com você.

Uma ligação emocional vai ser construída, para que na sua cabeça, na sua mente, o Elicitador se torne “A Pessoa”, “O Cara”. Geralmente as pessoas dividem segredos mais com amigos, do que com familiares. São os “confidentes” os eleitos para que compartilhemos nossos segredos. Ele vai tentar construir um personagem que vai criar um vínculo emocional, para que você estime o Elicitador.

Aquela história de primeira impressão, nesse universo de descoberta de segredos se transforma em primeira e última impressão. O Elicitador vai tentar sempre deixar a última boa impressão, pois ele precisa dar continuidade naquilo que ele programou para conseguir extrair seus segredos.

Resumindo, o Elicitador pode dar o primeiro bote em qualquer lugar. No elevador, na praça, no trabalho, na escola, na sala de espera, no ônibus, em qualquer lugar mesmo. Ele vai tentar criar vínculos emocionais, vai tentar ser estimado por você, vai usar aquelas técnicas de espelhamento físico, pior, vai tentar espelhar você psicologicamente. Em alguns momentos vai parecer que você está interagindo, conversando com você mesmo! Como eu disse vai ser um super papo, uma amizade ou um amor à primeira, e última vista.

Em outros posts vamos nos aprofundar neste universo, as por enquanto cuidado com um estranho muito atencioso, prestativo, que esteja na hora e no lugar certo. Mas não por favor não vai ficar paranoico. Ainda existe muita gente boa neste mundo, muitas pessoas altruísta, caridosas e prestativas de verdade!

Elicitation is a technique used to discreetly gather information. It is a conversation with a specific purpose: collect information that is not readily available and do so without raising suspicion that specific facts are being sought. It is usually non-threatening, easy to disguise, deniable, and effective. The conversation can be in person, over the phone, or in writing. Conducted by a skilled collector, elicitation will appear to be normal social or professional conversation. A person may never realize she was the target of elicitation or that she provided meaningful information. FBI Elicitation brochure.

Sugestão de Leitura:

http://www.batimes.com/articles/what-elicitation-really-means.html

FBI counterintelligence elicitation brochure

 

Posted in Intelligence Analysis Tagged with: , ,

imagem sistemas de inteligência (©Pixabay.com)
março 16th, 2016 by Marcos Zouein

Análise de Inteligência:

Os diferentes Sistemas

Autores, livros, tutoriais, dividem a Análise de Inteligência em diferentes tipos de Sistemas. Uma destas visões – a que achei mais interessante no momento, dividi em dois.
No primeiro encontra-se exclusivamente o Processo Intuitivo. Em muitos casos a Intuição é desmotivada dentro da formação do Analista, porém em um próximo post, vou falar como vejo sim, a importância da Intuição para formação de um profissional completo.
Vamos então ao segundo Sistema. Mais uma vez você vai encontrar diversas configurações em livros, artigos e etc… Aqui escolhi dividi-lo em quatro técnicas: Pensamento Crítico, Análise Estruturada, Análise Semi-Quantitativa Quasi-Quantitative Analysis, e Análise Empírica.
Lembrando que estes ramos do conhecimento humano, aqui estão direcionados para uma utilização prática, envolvendo diferentes áreas e segmentos, como por exemplo Comunicação, Marketing, Negócios (Business), Tomada de Decisões, Tecnologia da Informação, e a própria área Jurídica. Sendo que dentro da Filosofia, Psicologia, Sociologia, e Matemática, estas divisões terão uma maior profundidade de conteúdo. Dito isso, vamos destrinchar um pouco cada item:

Pensamento Crítico:

A aplicação do processo e dos preceitos da Pesquisa Científica em determinadas circunstâncias, é muito importante dentro da Análise Estratégica.

  • Quem é, ou quem são os clientes chave (relevância e importância);
  • Qual, ou quais são as questões (pergunta, questão, hipótese e etc…). Será que em diferentes análises podemos reduzir para somente uma questão, uma pergunta, uma hipótese? Ou existe uma complexidade envolvida que nos leva a cenários que se apresentam com uma multiplicidade que nos impede se executar essa redução;
  • Onde posso achar a “melhor informação“? Mas o que é esta melhor informação?
  • Como construir um Argumento Convincente?
  • O que é necessário para que a Mensagem seja transmitida de forma efetiva?
  • Checar as Suposições Chave;
  • Procurar por Dados Desconformes ou Invalidados;
  • Aceitar Múltiplas Explicações o maior tempo possível.

Análise Estruturada:

Esta é uma das abordagens a qual eu mais me identifiquei.
Envolve um processo de passo-a-passo, que externaliza o pensamento do Analista.

  • A técnica permite ao Profissional rever, discutir e criticar parte por parte ou passo-a-passo;
  • Sua aplicação usualmente se transforma em um esforço coletivo, mas pode ser utilizada individualmente;
  • Quando em grupo, a transparência do processo analítico expõe os profissionais que participam do time a divergências, ou a conflitos de perspectivas (o que de forma respeitosa e democrática é excelente);
  • Em casos em que o trabalho é realizado por apenas um analista, o uso de técnicas estruturadas pode ajudar a abrandar alguns dos impactos negativos causados por uma espécie de Limitação Cognitiva;

Mais para frente vou postar diversas técnicas dentro da Análise Estruturada. Esta vai ser a abordagem com mais ênfase neste Blog.

Análise Semi-Quantitativa (Quasi-Quantitative Analysis):

É uma abordagem que utiliza ferramentas computacionais, que usa dados gerados por especialistas em diferentes áreas.

  • Usada na falta de dados empíricos;
  • Completa as lacunas em uma análise (na falta de dados empíricos), classificando Variáveis Chave em graus como Altas, Médias, Baixas ou Ausentes, ou até mesmo a atribuindo um juízo usando Probabilidade Subjetiva.

É uma abordagem complexa, que no futuro terá mais espaço em nossos posts.

Análise Empírica:

Usa dados quantitativos e tem a Modelagem Econométrica como um exemplo comum desta abordagem.
A Análise Empírica vai ter um espaço maior dentro da área de Gestão, Administração e Negócios deste Blog.

Imagem de Sistemas de Análise de Inteligência

Exemplo de uma das abordagens que envolvem da divisão dos Sistemas de Inteligência

Sugestão de Leitura:

Posted in Intelligence Analysis Tagged with: ,

Imagem Elicitation --- ©Pixabay.com
Elicitação

Do nada você conhece alguém, em um um uma por telefone...

imagem sistemas de inteligência (©Pixabay.com)
Sistemas de Inteligência

Análise de Inteligência: Os diferentes Sistemas Autores, livros, tutoriais, dividem a...

Imagem sobre Tomada de Decisões ©Pixabay.com
Matriz de Decisão

Eisenhower e a Matriz de Decisão: Antes de se tornar Presidente...